Para expatriados no Brasil, a escolha de uma escola é obrigatória!

Existem 3 opções: escolas privadas brasileiras, escolas estrangeiras e escolas brasileiras bilíngues. Quase todas as escolas privadas brasileiras oferecem aos alunos o ciclo completo de estudos, do materno ao décimo segundo (o último ano do ensino médio).

A maioria das escolas privadas internacionais está localizada nas principais cidades do Brasil. São Paulo é provavelmente a cidade que oferece mais variedade de escolas. A escola de St. Paul é uma das mais conhecidas do país. Outras escolas de prestígio são a American School no Rio de Janeiro ou a American School of Brasilia.

No Rio existem muitas escolas privadas de carácter religioso (Colegio Sao Paulo, Santo Agostino, São Bento …) que manter o currículo tradicional brasileira, assegurando uma melhor qualidade de ensino, bem como atividades esportivas extracurriculares realizadas dentro da mesma escola. O custo dessas escolas é bastante alto e é de cerca de 3000 reinos por mês. Um preço não acessível para 90% da população local, que recebe um salário mínimo de 900 reais por mês.

A maioria dos expatriados, no entanto, opta por escolas estrangeiras. No Rio há a Escola Americana, a Escola Francesa, a Escola Britânica e a Escola Alemã, nas quais todas as disciplinas são ministradas em uma língua estrangeira e permitem continuar com o mesmo programa de estudos em caso de transferência para outro país.

A escola americana do Rio de Janeiro

Muitos estrangeiros que vivem no Rio, além de brasileiros ricos, escolhem a Escola Americana porque ela tem um objetivo mais internacional e facilita o acesso às prestigiadas Universidades dos Estados Unidos. Nas escolas americanas e britânicas também é possível frequentar um programa de Bacharelado Internacional, que é o diploma internacional do ensino médio.

Escola americana

Optamos também pela Escola Americana do Rio de Janeiro para os nossos filhos, uma escolha que se mostrou positiva, principalmente pela qualidade do ensino e pela internacionalidade de alunos e professores. O alto custo destas duas escolas, de 7 milhões de reais por mês mais uma taxa de inscrição de cerca de R$ 10.000, tornando-os acessíveis apenas a uma pequena elite e expatriados local que ficaram dentro da nota de corte sisu, que eles geralmente têm o apoio das empresas para as quais trabalham.

Estas escolas oferecem programas de ensino médio, apenas em Inglês, com horário a tempo inteiro (8:00 às 15:00) e excelente desporto escolar extra, graças às fantásticas instalações em cada (campos de futebol, basquetebol, piscinas. A opção “cantina” existe apenas nas escolas internacionais, mas é sempre opcional. Na verdade, os alunos podem optar por almoçar na escola ou fazer as refeições em casa e se aquecer na escola.

Nos últimos anos, muitas escolas bilíngues, privadas e públicas, também nasceram. São instituições com um currículo brasileiro em que algumas disciplinas são ministradas em inglês. Nessas escolas, a mensalidade é definitivamente menor do que a da escola americana ou britânica, mas os estudantes ainda recebem um ensino melhor da língua inglesa.

A universidade no Brasil

Como escrevi, as famílias ricas brasileiras enviam seus filhos para escolas americanas para garantir a entrada nas faculdades de maior prestígio nos Estados Unidos. Existem até agências que lidam com todas as práticas longas e complexas de admissão de estudantes brasileiros em universidades americanas. Ser capaz de oferecer a seus filhos um diploma nos Estados Unidos é sinônimo de bem-estar e alto prestígio social.

Universidade no Brasil

A escola no Brasil também apresenta áreas de excelência, como é o caso das universidades públicas. Os estudantes que querem continuar com o ensino universitário no Brasil, na verdade, devem passar por um vestibular muito complexo (vestibular), independentemente de sua nacionalidade. O teste é realizado em dezembro e janeiro e exige um excelente conhecimento do português.

Nas universidades privadas, o vestibular é geralmente apenas uma formalidade, enquanto as universidades estaduais usam o teste para selecionar os melhores alunos e essa é uma razão para o prestígio das graduações obtidas nas universidades estaduais brasileiras.

A educação superior no Brasil é dividida em estudos universitários e estudos de pós-graduação. Cada ano acadêmico é dividido em dois semestres. O primeiro semestre geralmente começa em março e continua até o início de julho. O segundo semestre começa em agosto e continua até meados de dezembro.